A CRISE DE IDENTIDADE NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA : OS FRACOS DESEMPENHOS DE ANDRÉA MURAD/ROGÉRIO CAFETEIRA/ O VENENO DE ADRIANO SARNEY/ O PREPARO DE MAX BARROS/ A DECÊNCIA DE EDVALDO HOLANDA

A vitória esmagadora de Flávio Dino(63%) promoveu crise de identidade na Assembleia Legislativa do Maranhão- 27 roseanistas tornaram dinistas logo no início dos trabalhos legislativos. É a tradição governista.

Governistas de raiz- dinistas de primeira hora seriam apenas 13. Feitas as projeções com base nas eleições municipais de 2016, a oposição corre o risco de ficar reduzida a apenas 2 parlamentares- Adriano/Andréa.

O ainda murazista- genro/afilhado de Ricardo Murad Souza Neto - acena para Dino, dizendo que é oposição porque tem motivos- o fraco desempenho do prefeito Ribamar Alves em Santa Inês.

Se o governo apoiar Neto à prefeito de Santa Inês em 2016, Souza larga a mulher, Tatiana - filha caçula de Ricardo Murad - e vira dinista no ato. "Governo e pau duro ninguém segura"(Edson Lobão).

Edilázio Junior é outro genro derrotado nas eleições de 2015. Junior foi acomodado na importantíssima 1ª Secretaria da Mesa Diretora. Cargos e salários devem silenciar sua língua nascida politicamente morta.

Restou Andréa Murad, a "Dedéa do Papai" e Adriano Sarney, nascido/batizado Sarney Neto. Andréa Murad é fraca- voz trêmula lembra a mãe Teresa Trovão, raciocínio embotado e sem recursos retóricos destoam do pai, Ricardo Murad.

Adriano Sarney fala/gesticula a semelhança do pai Zequinha Sarney. Adriano ainda sem muita convicção estreou em aparte, silenciado Rogério Cafeteira. Adriano lembrou que Cafeteira, avô de Rogério foi governador da oligarquia(1985).

Faltou identidade/ legitimidade para governo e oposição no parlamento maranhense. O que salvou a 1ª Sessão da 18ª foi o fundamentado discurso do experiente Max Barros sobre a questão da Refinaria Premium- suprapartidário e sem bairrismo.

Destaque ainda para a polida/educada participação em aparte do deputado Edvaldo Holanda na estreia de Rogério Cafeteira como líder do governo de Flávio Dino. Edvaldo parabenizou a escolha e ressaltou o preparo de Rogério Cafeteira para o cargo.

Rogério Cafeteira em discurso de estreia afirmou ser acima de tudo e de todos- não lembra os discursos de Ricardo Murad ? que ele é "cafeterista". A Assembleia virou padaria ? Rogo que a discussão saia dos interesses das famílias Sarney/Murad/Cafeteira.

3 comentários:

 
Tecnologia do Blogger.