Publicidade

A ELEIÇÃO DO FUTURO PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DEVE PRIMAR PELA HARMONIA ENTRE OS PODERES E NÃO PELA HEGEMONIA DO GRUPO SARNEY

A passagem do Estado Absolutista para o Estado Liberal caracteriza-se pela separação dos poderes. Ao elaborar a Teoria da Separação dos Poderes- "os poderes são independentes e harmônicos entre si" - Montesquieu não priorizou a independência sobre a harmonia.


Mas no Maranhão o grupo Sarney prega a desarmonia futura entre o Legislativo e o Executivo. Roseana Sarney usa a renúncia como instrumento para fortalecer seu grupo na disputa pela presidência da Assembleia em fevereiro de 2015.


A eleição do futuro Presidente da Assembleia Legislativa deve primar pela harmonia e não pela hegemonia- supremacia - do grupo Sarney. O fato mostra o apego ao poder, concebido dentro da mentalidade patrimonialista- Roseana entrega o governo como uma propriedade privada para fins eleitoreiros.


Para Sarney a divisão dos poderes acontecia dentro do enunciado fossilizado há 50 anos :"todo poder emana de Sarney e em nome dos seus três filhos- Roseana/Fernando/Zequinha - será exercido". Todavia eles e seus suseranos/vassalos não se conformam.


A "Teoria dos Poderes Sarney" morreu com a passagem do ciclo oligárquico(Sarney) para o democrático(Dino). Dino prega a alternância desde a campanha eleitoral. As diferenças estão nos procedimentos/posturas/comportamentos.


2 comentários:

R Cavalcante disse...

Rsrsrsrsrsrsrsrs........vou guardar essa ilustração no meu museu particular. Me diga qual o santo que Sarney está representando.

BLOG DO CESAR BELLO disse...

São Longinho- aquele dos três pulinhos. Sarney quer ir mais longe.

Postar um comentário

 
Tecnologia do Blogger.