ACABOU/ URROU/ URROU BUCÃO/ GODÃO/ BRANDÃO/ BOCÃO/ BABÃO : SÃO JOÃO DE TODOS NÃO ENRIQUECERÁ POUCOS

A Cultura do Maranhão livrou-se/ não tem mais "Capataz" - Luis de Nazaré Bulcão/ o Mestre "Buka"/ Bucão - nem "Capitão do Mato" - José Pereira/ o  "Godão" - autorizado a pegar os "escravos fujões" tipo "Toinho Piaçaba" - tão pouco "Feitor" encarregado das instituições culturais - Roberto Brandão.


                          Foto do perfil de Roberto Brandão, A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, no palco e texto

Bucão/ o Mestre Buka/ José Pereira/ o Godão decidiam tudo no tempo em que Roseana Sarney aparecia como "mecenas" - financiadora da cultura - quando o certo era a obrigação de como gestora incentivar a liberdade cultural por meio de procedimentos legais.

A Cultura era "patrimônio pessoal" da ex-governadora Roseana Sarney. O processo começou como estratégia política - Roseana Sarney era detestada na Ilha Rebelde. Bucão foi o primeiro a ser cooptado - compositor/ funcionário federal(DPU/SPU) virou capataz da "Branca".

Bucão sempre teve muita influência na Madre Deus/ berço de várias manifestações culturais na Capital/ que ecoa por todos os bairros/ municípios. Os Sarney o cooptaram/ usando a mesma estratégia dos Médici em Florença/ Itália - patrocínio cultural/ total dependência política eleitoral.  

Depois Godão/ Brandão/ Bolão/ Babão toda a Cultura de roldão. Não interessava mais os valores culturais. O que interessava eram os "valores em reais". Poucos "bamburraram" na cultura/ ficaram ricos/ donos de carrões/ milhões. Todos compraram mansões próximo da Branca no Alto do Calhau.    

Bumba-Boi para receber apoio tinha que escrever no "couro do boi" rimas com o sobrenome da família de Roseana : "Sarney é minha lei". Protestos por meio das manifestações culturais eram admitidos/ desde que "rimasse bonitinho com a "Branca" : " Ela me engana/ mas amo Roseana".  

Capataz/ Capitão do Mato/ Feitor fizeram riqueza enquanto Roseana Sarney debutava como governadora - foram quase 15 anos. Agora apareceu um dono do Instituto São Marçal - Raimundo Moraes - organizador da festa de São Marçal/ querendo 117 mil reais em espécie.


Raimundo Moraes/ Presidente do Instituto São Marçal/ organizador da festa de São Marçal se "deu de mal". Ele queria 117 mil reais para "organizar" o festejo de São Marçal. O Secretário de Cultura do governo Dino/ Diego Galdino através de contratos licitados ofereceu todos os itens a saber:

Palco/ som/ iluminação/ material gráfico/ faixas/ despesas extras. Além de todos os ítens solicitados foi destinado 20 mil reais para compra de feijão/ ingredientes/ água mineral a serem consumidos durante a passagem dos grupos de Bumba-Boi . O São João de Todos não enriquecerá poucos.




0 comentários:

Postar um comentário

 
Tecnologia do Blogger.