Publicidade

VALEI-ME NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO : GERALDO CASTRO QUER COMBATER VIOLÊNCIA NAS ESCOLAS DA CAPITAL COM MAPEAMENTO/ CULTURA DE PAZ/RESPEITO AO PRÓXIMO

O Secretário de Educação Geraldo Castro Sobrinho informou em primeira/ única mão no Blog de Marcos Deça, o "Bandideça" - aquele blogueiro sarnoelizianista - que vai tentar solucionar o problema da violência nas escolas da Capital, com o mapeamento da ocorrências/ discussão/ cultura da paz/ respeito ao próximo. Torre/ torre/chamando - aterrissa Castro.

As propostas de Geraldo Castro/Miriam Abramovay lembram a palavra de ordem dos hippies nos anos 60 - "paz e amor bicho" - e a moderna tendência ao suicídio dos grupos islâmicos. Castro quer que "o protagonismo juvenil reconheça/ discuta/ combata a violência nas escolas, tornando as escolas um ambiente prazeroso e as relações sejam positivas".

A proposta de Castro é muito boa para ser implantada na Cuba - governada pelo irmão de Fidel Castro - mas em São Luís, aluno combater a violência de qualquer forma é expor-se a morte como "cagueta"/ "babão"/ "X-9". Castro não estudou que o problema da violência nas escolas é o mesmo das comunidades - a evasão escolar. É só consultar :

O Maranhão tem  quase 3 milhões de analfabetos de pai/ irmão/ vizinhança - o analfabetismo é o trampolim para o submundo do tráfico/ assaltos. Dos três milhões de analfabetos - 50% de uma população de 7 milhões de habitantes - 50% deixou a escola antes de 10 anos de idade( evasão escolar). O combate deveria ter foco na evasão escolar, integrando escola/ família/ comunidade/ estado.

As escolas do estado realizam nesta quinta-feira o seletivo para a escolha por eleição direta dos seus diretores. Neste ambiente democrático é salutar/inteligente/ necessário ao município de São Luís pedir parceria ao governo - que do contingente (1.500) novos policiais - seja destinados número suficiente para policiar as escolas da Capital. Tem que bater no cravo e na ferradura. Castro tu não está em Cuba.

Valei-me Nossa Senhora da Conceição. Me acode em nome de Jesus. Podemos contribuir com a crítica para desenvolver nossas instituições. Faço as considerações em epígrafe pela minha formação em Psicopedagogia. Tive a oportunidade de ler/ entender muito sobre a realidade do Maranhão. Os dados apresentados foram "arredondados para mais", posto que a realidade ainda vai neste sentido.

0 comentários:

Postar um comentário

 
Tecnologia do Blogger.