CINZAS/NEVER/MORE OU NUNCA MAIS ? O PROBLEMA DOS ADVOGADOS DE RIBAMAR ALVES É QUE ELES NÃO FALAM TUPI NAMBÁ

O problema dos advogados de Ribamar Alves é que nenhum deles não fala Tupi nanbá - o assédio a juíza Larissa Tupinambá repercute nas entrâncias - comarcas de Santa Inês/ São Luís/ instâncias - graus de jurisdição TJ-MA/ STJ-DF .

A força do "dialeto" Tupi nanbá é tão forte, que o STJ no Plantão do Carnaval não "assuntou" o petitório do venerado advogado criminalista Pedro Calmon, alcançado por intermédio do advogado Pedro Jarbas radicado no Maranhão .

Tem-se a impressão de que para cada petição dos advogados de Alves, uma estrofe do poema I-Juca-Pirama ecoa nas decisões prolatadas - o canto Tupi nambá é forte cadenciado/ levando o processado/ sentenciado de outrora a dor presente/ do enamorado por Lenora- aquela do Nunca Mais. 

"No centro da taba se estende um terreiro/ Os velhos sentados praticam o outrora/ Os moços inquietos, que a festa enamora/ derramam-se em torno de um índio infeliz/ Quem é ?/ Qual a sua tribo/ Não diz/ Na Grécia o escravo insulano era distinto do vil muçulmano"


Lenora é a musa/ paixão do personagem de Edgar Alan Poe no poema "O Corvo". A ave soleníssima repete o refrão : "Nunca Mais"/ ou Never/More - Diante da ave feia e escura/ Naquela rígida postura/ Diz sobre minha soltura : não sai mais/ nunca mais.


0 comentários:

Postar um comentário

 
Tecnologia do Blogger.