"SENÃO BOI NÃO DANÇA/A MAIOBA NÃO ENTRA/ A PINDOBA NÃO SAI" : DEPOIS DA SEGURANÇA QUEREM VITIMIZAR A CULTURA

Sarney escreve mais um artigo com cheiro de enxofre neste domingo(7) no EMA : "Divagações sobre a paciência" - ele pede paciência aos correligionários. A mensagem subliminar é "esperem nos vamos voltar ao governo". 

Os jornal dos Sarney tricota na coluna política sobre o São João, escondendo que Roseana Sarney foi a "Casa Barrica", aonde se encontra homiziado o "Boi Barrica", na pretensão apresentar-se como vítima da mudança/ da nova política cultural.

Acostumados a dizer : "é tanto, senão boi não dança", velhos(as) boieiro$ do $etore$ da cultura ameaçaram aumentar o adágio popular : " Senão a Maioba não entra e a Pindoba não sai". E$$e resfolegar acabou. Agora existem critérios democráticos. 

Depois da Saúde- factoides de mortes por falta de oxigênio/ falta de assistência; Segurança Pública- índice de violência como consequência recente - o São João serve de pano de fundo para atacar a profícua/promissora/honesta gestão de Dino.

A estratégia é mais antiga do que a posição que Sarney senta no vaso há 80 anus- denegrir diuturnamente/ano a ano as administrações, de acordo com calendário de obras/festejos, concluindo o serviço nos anos eleitorais(2016/18).

Paciência Sarney ? Uso a mesma frase de Cícero para  Catilina : "Até quando tu vais abusar de nossa paciência?" Sarney tal e qual ou "talqualmente" Catilina, que tramava contra Roma fora da cidade e apresentava-se como defensor no Senado Romano. 

10 comentários:

 
Tecnologia do Blogger.