ÚLTIMOS VAGIDOS E MIASMAS : "O IMPARCIAL/ "O ESTADO DO MARANHÃO" QUASE 100 ANOS NA DEFESA DE VITORINO FREIRE E JOSÉ SARNEY

Quem lê atentamente o livro "O Vitorinismo" do acaêndemico- acadêmico de endemias - Benedito Buzar depara-se no início com a homenagem ao pai, Abdala Buzar Neto "um vitorinista" assumido.

A homenagem póstuma comprometedora/a falta de opinião/omissão do autor sobre o continuísmo do coronelismo no governo de Sarney revelam inteligências a serviço de Vitorino/Sarney.

Buzar pauta o livro nos relatos jornalísticos de "O Imparcial". Quem leu Erasmo Dias e Noites, organizado por Nauro Machado conheceu a realidade escrita de forma nua/crua/ferina no jornal O Combate.

"O Imparcial" ligado ao Diários Associados de Assis Chateaubriand defendia  Vitorino Freire. Porque? Vitorino deu mandato de Senador para "Chatô", considerando ser o Maranhão um cabaré.

Sarney funda com Tribuzi "O Estado do Maranhão", objetivando a promoção pessoal e inaugura a imprensa oficial(Sioge) através da qual mantém a memória negativa de Vitorino Freire.

No Sioge ocorreram as republicações dos artigos assinados por Erasmo contra Vitorino no Combate, depois compilados por Nauro Machado, a pedido de Sarney em livro "Erasmo Dias e Noites".

"O Estado do Maranhão" especializou-se em denegrir os adversários de Sarney. Pedro Neiva/Nunes Freire/João Castelo/Luís Rocha/ Cafeteira/Zé Reinaldo/Flávio Dino são manchetes nestes 56 anos.

"O Imparcial"/"O Estado do Maranhão" completam 89/56 anos respectivamente, dando os últimos vagidos(gemidos) e miasmas- gases originados de matérias pútridas originadas de endemias.  


0 comentários:

Postar um comentário

 
Tecnologia do Blogger.