EVOLUÇÃO DA VIOLÊNCIA : DAS SURRAS DE VITORINO FREIRE PARA A GRILAGEM PISTOLAGEM COM SARNEY

A violência no Maranhão evolui das surras por questões políticas nas praças públicas- período do mando/quero/faço de Vitorino Freire - para a expulsão/mortes do homem do campo com a chegado dos grileiros com seus pistoleiros- logo no início do governo de Sarney.

Os sicários pernambucanos remanescentes de Vitorino Freire juntaram-se aos pistoleiros paraenses que acompanhavam os grileiros de Sarney, orientados pelos jagunços dos prefeitos/deputados expulsaram o homem do campo. Esse êxodo rural é até hoje é fator determinante da violência urbana.

Foi assim que o lavrador do campo virou lavador de carros na Capital e depois marginal. Os bolsões de miséria no entorno de São Luís começaram a formar bairros populosos, tendo os homens escorraçados das suas terras como a maioria. O tempo se encarregou do que hoje se tem em notícias. 

Naqueles tempos de antanho não existiam delegados de carreira- concursados. Coronéis da Polícia Militar sem qualquer noção de Criminologia usavam o bordão "o efetivo está nas ruas"- eram duplas de policiais chamadas de "Cosme/Damião em alusão aos santos gêmeos.

Pedro dos Santos/ Wilmar Raposo eram chefes de Polícia que contavam com as "Chiquitas"- apelido dado as viaturas das Polícia Civil/Militar. Eram três os principais Distritos Policiais- 1º/2º/3º localizados no Centro/João Paulo/ Anil respectivamente. A criminalidade crescia sem observação/estudo.

Deste período chamado romântico alguns desviados de conduta destacavam-se : Faísca, exímio descuidista; Osmazinho, o Katá que nas crises do uso de diamba/cachaça costumava faiscar o facão no asfalto quente- "lá vem Katá" era o grito que assustava a Praça do Cemitério. 

Volto comentando/analisando dos delegados "calças curtas" até a "Operação Tigre". "Lá vem a Chiquita/ Lá vem Katá" são gritos de um passado em que a criminalidade se originava na revolta. Hoje a violência nos revolta, mas o que aí está não caiu dos céu nem fugiu do inferno.



4 comentários:

Anônimo disse...

Grande César, suas postagens sobre a violência no Maranhão são uma pérola, um achado científico. O azar do Maranhão foi o Sarney ter nascido aqui. Por isso tá explicado porque o Maranhão é pobre, porque é violento. Se ele tivesse nascido em São Paulo, hoje quem era pobre era este estado e o Maranhão era rico e sem violência.

BLOG DO CESAR BELLO disse...

´é mais ou menos por aí, acrescenta uma cambada de puxa-saco que deveria morar com ele em São Paulo, local próprio para quem não gosta, mas vive as custas de nordestino. Te inclui.

R Cavalcante poeta, escritor, compositor e autor do hino de Conceição do Lago Acu disse...

Eu morava no codozínho e nessa época estudava no Sotero dos Reis na São Pantaleão. Assisti muitas vezes discussão de Osmarzinho com Newton Barnabé na praça do cemitério por causa das bicicletas que Newton alugava. Faísca esse era terrível vi ele subtrair a carteira do meu pai dentro do bonde. Quando falei pro meu pai faísca já tinha evaporado. Uma vez ele pegou umas portadas de Zeca Pilu dentro do ônibus de. Walter Fontoura. Meu caro César porque você não escreve um livro só de memórias? Daria um livro caríssimo de riquezas memoriais.

MAURO BRITTO disse...

COMEU MESMO!

Postar um comentário

 
Tecnologia do Blogger.