DINO DESMONTA FACTOIDE MIRANTEANO/CARIDOSO SOBRE COMPRA DE ALIMENTOS PARA RESIDENCIAS OFICIAIS

O governador Flávio Dino em consonância com a coerência que lhe é própria respondeu, desmontando factoide miranteano/caridoso, que atribuía a atual gestão escolha/pregão/licitação/ fartura de gêneros alimentícios para as residências oficiais- governador/vice.

Um dos filhos de Luís Caridoso, Yuri Almeida dono do Blog Atual7 orquestrou a patranha(mentira). O pai, Luís Caridoso de forma cretina omitiu a data da escolha dos itens/ pregão/ licitação/ gestão- 2 de dezembro de 2014. Portanto ainda no governo de Roseana Sarney.  

"Caridosos&Miranteanos" estão insatisfeito com Dino, que não  lhes dá espaço/ permite/ patrocina/ colabora/ relaciona/ submete o governo, ou seus membros à práticas extorsivas/ achaques/ pressão/ barganhas que os alimentou em luxos/ luxúria/ e muito dinheiro por vários anos.

O blogueiro Marcos D'eça participa da "orquestração gastronômica caridosa" e diz que o atual Chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares foi quem supervisionou o fantasioso "cardápio opíparo", durante o período que chefiou a transição. Mas como supervisionar sem ser membro do governo da Sarney?

Deça editor de política do EMA noticiou  no fim de semana, que Dino/Brandão continuavam a frequentar os mesmos restaurantes para manter o contato/evidência. No sábado era demagogia, agora é repetição dos mesmos erros? Percebe-se a contradição entre a matéria no EMA e a postagem no blog.

O Blog do Cesar Bello fez a postagem na noite de terça(6), com número(66)/ ano do pregão(2014)/ gestão(Roseana Sarney)/ nome de quem assina(Ronaldo Rego), sugerindo ao governador acabar com a mordomia absurda, que afronta de 2 milhões de maranhenses em petição de miséria.

Dino afirmou que não vai homologar nos termos atuais a compra dos gêneros alimentícios. Ótimo, mas penso que seria exemplar o governador Flávio Dino continuar custear a alimentação familiar, deixando previsão orçamentária suficiente para as relações institucionais/ festivas do governo. 

A fome do povo é muita. Não dá para comer um grão de arroz sem pensar na fome/ miséria de 2 milhões de maranhenses. Não esqueço a  reportagem do Fantástico onde uma criança maranhense diz sorrindo, com orgulho : " eu aguento fome".


0 comentários:

Postar um comentário

 
Tecnologia do Blogger.