RECEITA DA OPOSIÇÃO QUE ENRIQUECEU DE FORMA ILÍCITA NOS ÚLTIMOS 50 ANOS DO SARNEÍSMO : GOVERNO LISO/ POVO SUBDESENVOLVIDO/ RETOMADA DO PODER

Membros da oposição que enriqueceram de forma ilícita nos últimos 50 anos / pautam fórmula para voltar ao poder : governo liso/ sem receitas/ povo subdesenvolvido/ revoltado. Os herdeiros de grandes/ ilegais fortunas querem impedir o governo de arrecadar/ distribuir/ investir o dinheiro que circula no Maranhão.


Adriano Sarney sócio de Jorge Murad em empresa que freta jatinhos na França - consta no testamento como herdeiro das cotas de Sarney - pensa em tributos da mesma forma dos faraós há 3000 anos antes do nascimento de Cristo - como receita arrecadada do povo para satisfação/ manutenção/ perpetuação da família dos que governam.


Adriano Sarney tem dinheiro herdado/ roubado para alimentar seus luxos/ dos filhos/ netos como principal herdeiro do avó José Sarney/ que lhe deixou todos os bens furtados/ desviados/ adquiridos de forma sorrateira/ ilícita do povo pobre/ explorado do Maranhão nestes últimos 50 anos do espúrio/ desonesto/ corruptos exercício de governos.



A receita dos últimos 50 anos do sarneísmo foi manter mais da metade da população no analfabetismo de "pai/ irmão/ vizinhança" - sem estudo/ sem consciência dos seus direitos fundamentais - enquanto os Sarney/ Murad/ Lobão/ Rocha/ Braide enriqueciam "nas sombras dos governos" corruptos da família Sarney.


Sarney/ Murad/ Braide/ Rocha/ Lobão ejaculam/ gozam com a crise que se abate sobre o Brasil/ Maranhão/ tendo bilhões guardados em contas no exterior/ milhões enterrados em sacos plásticos cobertos por cimento nas suas propriedades particulares. O pior : querem impedir o governo arrecadar/ distribuir/ investir no Maranhão.


Querem atrapalhar a aprovação de projetos de pedidos de empréstimos/ voltados para o saneamento/infraestrutura/ saúde/ habitação/ segurança. Querem impedir a votação de projetos que aumentam a arrecadação/ propiciando o equilíbrio das contas públicas/ pagamentos de aposentados/ funcionários/ custeio/ investimentos. 

0 comentários:

Postar um comentário

 
Tecnologia do Blogger.