"PREFEITO CIDADE GRANDE " : VEJA COMO ROBERTO ROCHA PROCEDEU QUANDO TENTOU VIRAR O DONO DA TV CIDADE

Ouça o áudio da entrevista em que Roberto Rocha revela ter pago propina na Casa Civil

O deputado narra como Vladimir Muskatirovic, atual chefe-de-gabinete do ministério, pediu 100 000 reais para destravar uma pendência no governo, e conta que uma prestação de 20 000 reais foi de fato entregue. Essa é mais uma das histórias mirabolantes de Roberto Rocha. Disse que não pagou propina,mas mandou fazer o "pagamento".




 - Atualizado em 
Extorsão na Casa Civil
(VEJA.com/VEJA)
Na edição desta semana, VEJA revela que o deputado e empresário Roberto Rocha, do PSDB do Maranhão, foi extorquido pela Casa Civil, em 2007, para resolver um problema no governo federal. O achacador foi Vladimir Muskatirovic, advogado e atual chefe-de-gabinete da Casa Civil, apadrinhado pelas ex-ministras Dilma Rousseff e Erenice Guerra, com as quais trabalha desde o começo da administração petista. Conhecido como "Vlad", o assessor cobrou 100 000 reais de propina do deputado Rocha. Era a taxa para que a Presidência da República autorizasse uma transferência de cotas da TV Cidade, retransmissora da Record no Maranhão, da qual o deputado é sócio. Com o ato, Rocha passaria a ser o dono da TV. O deputado narrou o episódio a VEJA em entrevista gravada de uma hora e três minutos. Contou que teve uma reunião sobre o assunto na Casa Civil, na presença de Erenice e do assessor Vlad. Logo depois, veio a cobrança. Ele afirmou à reportagem que, dali em diante, coube ao seu funcionário e secretário, Ivo Icó, negociar com Vlad. Rocha confirmou ter pago 20 000 reais de sinal. Apesar disso, não conseguiu resolver seu problema. Abordado por outros veículos de comunicação, Rocha admitiu a extorsão, mas negou ter pago propina.
Ouça a seguir trechos da entrevista em que Rocha fala da cobrança da propina e do posterior pagamento de um sinal para que a autorização de que ele necessitava fosse concedida. "É coisa de saúde pública porque fede!", diz o deputado.
áudio
Roberto Rocha explica que coube ao seu secretário, Ivo Icó, negociar com Vlad. "Não foi comigo que eles (Casa Civil) trataram isso. Do mesmo jeito que ela (Erenice) não tratou, eu não tratei. Trataram entre eles (os funcionários)".
Prossegue Rocha: "Depois de muita conversa, terminou sendo feito de outra forma. Não daquele tamanho (100 000 reais), mas foi feito (o pagamento). Foi feito, mas não foi executado. Absolutamente nada".
VEJA também gravou entrevista com Ivo Icó. Ele confirmou ter mantido tratativas com o assessor Vlad: "Ele estava intermediando o caso e deixou claro que havia gente acima dele que resolveria. Ele deu a garantia que, com o pagamento, resolveria".

0 comentários:

Postar um comentário

 
Tecnologia do Blogger.