Publicidade

NO GOVERNO DE DINO É O PODER EXECUTIVO QUEM PROCURA E VALORIZA O LEGISLATIVO

Durante a solenidade das comemorações dos 180 Anos da Assembleia Legislativa do Maranhão ficou patenteado a diferença entre Dino e Sarney.

Resultado de imagem para 180 anos da assembleia legislativa

Flavio Dino em 60 dias no promissor governo esteve na Alema em duas ocasiões- abertura dos trabalhos legislativos e aniversário de quase 2 séculos.

Resultado de imagem para 180 anos da assembleia legislativa

No governo de Dino é o representante do Poder Executivo quem procura/valoriza o Legislativo. Na era Sarney, Roseana sequer recebia os parlamentares.

Roseana Sarney almoçava lagosta e os deputados estaduais pagavam o pato- davam explicações diárias - sobre um governo corrupto/ingrato/ prepotente.


Para a Sarney tinha lagosta e  caviar. Para os parlamentares o que sobrava ? Tira-gosto de soluço, pastel de vento e  refresco de brisa no sereno dos Leões.

Resultado de imagem para refresco de assobioResultado de imagem para pastel de vento chargeResultado de imagem para refresco de soluço

Dino falou e encantou, usando o raciocínio lógico, apoiado em premissas, seguido de conclusões pertinentes.

O efeito retórico da fala de Dino prende a atenção, gera participação/aprovação. O nome da técnica é silogismo.

Todo homem é mortal.
Benedito é homem.
Logo, Benedito  é mortal.

O mesmo não se pode falar do imortal Benedito Buzar, o "Pai Buzar". Buzar gaguejou a história política sem opinar.

"Pai Buzar" podia ter trabalhado as fases- Provincial até 1889 - e a Legislativa. Sempre raciocinando que :

A Assembleia Legislativa até 2015 não era um dos Três Poderes, mas um "poder" na faixa de tês "ts"- tolhido, tutelado e tolerado.

Fúnebre foi a escolha da música o "Bolero de Ravel" para homenagear os ex-Presidentes. A sensação de mudança é dada pela orquestração com crescendo progressivo em mi maior e dó maior.

Cento e sessenta nove vezes os dois compassos epigrafados são repetido  em ostinato- som persistente, repetido na mesma altura. A orquestração começa baixa para depois envolver de forma triste/angustiante. 

Apesar de fúnebre a música é maravilhosa. Como o ambiente era político. Tive a impressão de ver várias "cobras najas", saindo dos cestos ao som do "Bolero de Ravel".

Resultado de imagem para cobra saindo do cesto ao som da flauta




0 comentários:

Postar um comentário

 
Tecnologia do Blogger.